Assuntos

Janela de Samba

Publicado em 22 de setembro de 2006

Registro das tradições culturais de comunidade remanescente de quilombolas, no município de Senhor do Bonfim (BA). O documentário se alterna entre a exibição de comidas típicas à base de mandioca, artesanato de colares e pulseiras feitas com produtos da terra, como sementes e feijões, e danças características da região. Destaca-se o samba de lata, em que os ritmistas – homens e mulheres – utilizam latas e cabaças como instrumentos de percussão para acompanhar a dança. As origens do samba de lata remontam ao início do século XX, quando, em razão de uma grande seca, a comunidade era obrigada a percorrer grandes extensões em busca de água. No caminho, para aliviar o cansaço e alegrar a jornada, cantavam e dançavam batucando nas latas e cabaças que levavam para carregar a água.  Indicação de uso: Estudiosos da cultura popular, instituições culturais,...

Saiba mais

Ticuna

Publicado em 22 de setembro de 2006

Registro da festa da moça ticuna, ritual de iniciação realizado após um período de reclusão de jovem ticuna recém-ingressa na puberdade, que, deste modo, é introduzida na vida social como mulher. O vídeo mostra toda a seqüência, desde os preparativos para a festa, dois dias antes, até os ritos finais. Este ritual foi realizado em julho de 2002, no Enepü (Morro da Formiga), localizado na terra indígena Evaré II, município de São Paulo de Olivença, no Amazonas, como rito de passagem da jovem ticuna Tueguna. Por ocasião da realização deste vídeo viviam no Enepü 102 índios ticuna, sobrevivendo através da caça, da pesca, do extrativismo e da agricultura. A festa ticuna é organizada em mutirão: toda a comunidade se envolve – enquanto uns ralam a mandioca para fazer a farinha, outros preparam a cabana onde a jovem donzela ficará...

Saiba mais

Feiticeiros da Palavra – O Jongo do Tamandaré

Publicado em 22 de setembro de 2006

Documentário sobre a prática do jongo na comunidade de Tamandaré, município de Guaratinguetá, interior de São Paulo. Ali, a tradição de antigos escravos foi preservada, passando de geração a geração. No jongo, o povo negro escravizado buscava uma forma de expressão genuína, como manifestação de sua cultura, de sua religiosidade, de suas danças e cantos. Antigos e novos jongueiros, estudiosos e simpatizantes prestam depoimento, explicando as origens desta manifestação cultural, a simbologia do fogo, das danças, dos cantos, dos tambores, da culinária. O sincretismo religioso, as articulações do jongo com a umbanda e com os santos e festas católicos também são abordados por este belo documentário. O vídeo exibe também imagens da Igreja Bom Jesus do Bonfim, de ruínas de antigo cemitério de escravos e dos preparativos da festa de São Pedro, além do encontro realizado em maio de...

Saiba mais