Assuntos

Coletivo Intervozes lança manifesto contra abuso e parcialidade na cobertura eleitoral

Publicado em 24 de outubro de 2006

A democracia brasileira foi vítima, na semana que antecedeu o primeiro turno das eleições presidenciais, de um assalto. Em conluio com um delegado federal criminoso, os veículos de mídia O Globo , Folha de S.Paulo, O Estado de S. Paulo, da TV Globo e da Rádio Jovem Pan fraudaram a ética e o compromisso com a verdade – cláusulas pétreas para o exercício do jornalismo – em nome de interesses político-partidários. Para obterem as fotos do dinheiro apreendido com militantes petistas pela Polícia Federal e exibi-las ao público, esse bando midiático mentiu e manipulou sem nenhum escrúpulo. Diferentemente do que ocorre, freqüentemente, no ringue de vale-tudo da mídia e do Poder, essa farsa veio à tona. A conversa entre o delegado Edmilson Bruno e os repórteres Paulo Baraldi, Lilian Christofoletti, Tatiana Farah e André Guilherme, em que também são...

Saiba mais

O fim do oligopólio da opinião

Publicado em 24 de outubro de 2006

Por Luis Nassif As eleições de 2002 marcaram uma virada inesquecível na mídia espanhola. Poucos dias antes do final, houve o atentado na estação de trem de Madri. A mídia governista espalhou a versão de que havia sido detonada pelo ETA, a milícia separatista basca. A reação veio através de um enorme zumbido popular, valendo-se das novas formas de comunicação, especialmente mensagens curtas em celulares. Em poucos dias, ampliou-se a vantagem da oposição e o governo e a grande mídia foram derrotados. Ali, simbolicamente, cessou o oligopólio da informação por parte da mídia convencional. As eleições de 2006 no Brasil terão o mesmo significado no futuro. O episódio em questão foram as fotos do dinheiro que seria utilizado para a compra do “dossiê Vendoin”. A rigor, as fotos não trariam nenhuma informação adicional para elucidar o caso. São tão...

Saiba mais

O CAMINHO PARA GUANTÂNAMO

Publicado em 24 de outubro de 2006

Por Mariana Vidal – vidal@fazendomedia.com Uns paravam no meio do caminho para tomar fôlego, outros se juntavam em grupos para comentar aquele absurdo, mas a vontade era mesmo de denunciar, de parar os carros na Rua Senador Vergueiro e avisar às pessoas que não estavam naquele cinema, que campo de concentração ainda existe e não é fruto de uma Alemanha nazista, é do atual governo dos EUA. O filme “O Caminho para Guantánamo” é belíssimo, é vivo; daqueles que você não consegue se desvencilhar da tela um minuto. Não por acaso os ingleses Michael Winterbottom e Mat Whitecross ganharam o Urso de Prata de melhor direção no Festival de Berlim deste ano.   Trata-se da história real de quatro amigos britânicos de origem paquistanesa que decidem sair da Inglaterra e voltar ao Paquistão para celebrarem o casamento de um deles....

Saiba mais

Caixa-dois da imprensa livre: contratação de torturadores

Publicado em 8 de outubro de 2006

Regis Moraes Lembro-me da reação de algumas pessoas quando, faz algum tempo, dizia que o grupo Folhas, da “progressista” família dos Frias, era, na verdade, uma empresa de oportunidades, que apoiava a tortura quando esta era conveniente e fazia a defesa da “democracia”, a seu modo, claro, quando esta se mostrava mais rentável. Um certo ar de descrédito aparecia no rosto de meus interlocutores. Agora, sai uma biografia do sr. Otávio Frias, pai, em que o autor registra um fato que não poderia ocultar – trata, certamente, de apresentá-lo de modo… polido. O fato é, contudo, bastante duro. O grupo Folhas foi, durante a ditadura, um fornecedor de dinheiro para torturadores. Quando eu dizia isso — com informações que emanavam de varias investigações independentes — as pessoas me olhavam com certo ar de descrédito, como disse. O grupo tinha...

Saiba mais

Pará: mobilização leva pistoleiro e fazendeiro ao banco dos réus

Publicado em 8 de outubro de 2006

Rogério Almeida Tem sido a ação de uma rede de pessoas e instituições que se alinham em defesa da reforma agrária e dos direitos humanos, que tem conseguido levar a julgamento envolvidos na execução de dirigentes sindicais, militantes e seus assessores na Amazônia. É por conta de tal mobilização, que ultrapassa os nossos quintais, que vai a julgamento no próximo dia 10, o pistoleiro, Wellington de Jesus Silva. O pistoleiro  executou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais do município de Rondon do Pará, José Dutra da Costa, conhecido como Dezinho, no dia 21 de novembro de 2000. Silva é o único envolvido que foi preso e vai a julgamento. O mesmo foi preso por ação de populares no dia do crime, estimado em 15 mil reais. Dos três intermediários, somente Domício Sousa Neto, o fornecedor da arma, encontra-se...

Saiba mais

Viva a Liberdade de Imprensa!

Publicado em 8 de outubro de 2006

Bernardo Kucinski “Quero agradecer em primeiro lugar aos meus companheiros de partido de São Paulo. Foi graças a São Paulo que estamos virando o jogo. E agradecer a meus irmãos da Opus Dei que me confortaram nos piores momentos da campanha até aqui. Mas quero agradecer acima de tudo aos jornalistas brasileiros, sem os quais seria impossível desconstruir esse verdadeiro mito da política que estamos enfrentando. Parecia uma tarefa impossível. O arquétipo do “pai dos pobres” estava profundamente enraizado no imaginário popular. Mas certos preconceitos também estavam e a imprensa foi muito feliz em fazer aflorar esses preconceitos. Lembro a todos a associação dos petistas a ratos através do poder da imagem, na capa de VEJA que vocês todos conhecem (1). Vários jornalistas, trabalharam essa associação depois por escrito, com grande sucesso.(2) Foi um risco calculado, usar mesma técnica...

Saiba mais
Página 1.012 de 1.017« Primeira...102030...1.0101.0111.0121.0131.014...Última »