Assuntos

Processos movidos contra Cristian Góes serão debatidos na Câmara

Por Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados

Amanhã, terça-feira,12, a Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados, em Brasília, vai realizar uma audiência pública onde serão discutidos os “Processos de judicialização da censura no Brasil”. O jornalista sergipano Cristian Góes foi convidado para fazer uma exposição detalhada sobre os processos judiciais movidos contra ele pelo desembargador Edson Ulisses, vice-presidente do TJSE, e pelo Ministério Público de Sergipe.

cristian“É uma situação tão absurda e me parece de uma censura tão clara que nem acreditamos aqui quando tomamos conhecimento desse caso. Por isso dessa audiência e a participação do Cristian Góes será fundamental, além disso vamos discutir outros casos um pouco parecidos que ocorrem no Brasil”, disse o deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ), autor do requerimento para a audiência. Ele recebeu uma sugestão de audiência da socióloga sergipana que mora em Brasília Inaê Magno.Amanhã, terça-feira,12, a Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados, em Brasília, vai realizar uma audiência pública onde serão discutidos os “Processos de judicialização da censura no Brasil”. O jornalista sergipano Cristian Góes foi convidado para fazer uma exposição detalhada sobre os processos judiciais movidos contra ele pelo desembargador Edson Ulisses, vice-presidente do TJSE, e pelo Ministério Público de Sergipe.

A sessão será realizada às 14h30 na Câmara dos Deputados, no anexo II, e vão participar, além do jornalista Cristian Góes, o presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Henrique Nelson Calandra; o presidente da Associação Nacional dos Jornais (ANJ), Carlos Fernando Lindemberg Neto; e José Carlos Torves, diretor da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj).

No último dia 29, Cristian Góes esteve à convite da organização internacional Article19 na Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA e também apresentou detalhes dos processos judiciais. “Os comissários ficaram estarrecidos. Agora será na Câmara dos Deputados e infelizmente será nova exposição negativa para o Judiciário de Sergipe. Isso é péssimo para o Estado. Mas tudo isso é de única e total responsabilidade do desembargador Edson Ulisses e de alguns juízes e promotores de Justiça”, disse Cristian.

O jornalista responde a um processo criminal e a outro cível por escrever a crônica ficcional “Eu, o coronel em mim”, publicada na Infonet. No criminal ele foi condenado a sete meses e 16 dias de prisão. Ele recorreu e a turma de recursos do TJSE manteve a condenação, mesmo tendo o juiz relator informado que o processo foi ilegal e irregular. A condenação foi mantida por dois votos contra um. O jornalista recorreu também dessa decisão porque um dos juízes votou duas vezes no mesmo processo. O processo cível ainda não teve julgamento.

Saiba mais sobre o caso:

Jornalista é condenado por falar de coronelismo em crônica ficcional

Jornalista processado é ouvido na Comissão de Direitos Humanos da OEA

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *