Assuntos

Jornais

 

Fala STIU-DF



O Sindicato dos Urbanitários do Distrito Federal (STIU-DF) lançou, em agosto de 2012, o jornal mensal Fala-STIU, feito em parceria com o NPC. O objetivo é ser um espaço regular de discussão dos problemas dos trabalhadores do setor elétrico e das medidas que têm impacto no restante da sociedade também. Além do jornal, o sindicato ampliou as iniciativas de comunicação após um curso ministrado pelos coordenadores do NPC, Vito Giannotti e Claudia Santiago, à diretoria do sindicato. Confira as edições produzidas em parceria com a equipe do NPC!

 

– Fala STIU – Setembro de 2012

 

 

 

Jornal do SindCT



Em início de 2011, o Sindicato dos Servidores Públicos Federais na Área de Ciência e Tecnologia do Vale do Paraíba (SindCT) lançou, em parceria com o NPC, o seu jornal mensal. Ao longo de suas edições a publicação aborda diversos temas de interesse dos trabalhadores de ciência e tecnologia, dos moradores da região e da sociedade em geral – além de dicas culturais. Confira a versão online de alguns números do jornal no site do SindCT!

 

 

BoletimNPC 158 – versão impressa

O NPC lançou, em janeiro de 2010, uma publicação especial sobre o 15°
Curso Anual do NPC. Foi a versão impressa do Boletim NPC 158. O curso foi realizado no ano passado, entre os dias
11 e 15 de novembro, e contou com cerca de 200 participantes de todos
os estados do país e mais de 50 palestrantes e expositores. A publicação foi distribuída no Fórum Social Mundial de Porto Alegre.

O jornal contém informações sobre as mesas de debates e palestras, que em geral reafirmaram o título geral do encontro, A Mídia como partido do capital. Também aborda o dia de encerramento, em que foi exibido o filme Linha de Passe, seguido de debate no Cine Odeon.
Os vários temas do 15º Curso são resumidos em pequenos artigos e
entrevistas com os palestrantes. O jornal especial nos fala da
programação cultural que esteve recheada de apresentações de jongo,
samba, funk, além da participação da Companhia Marginal, um grupo de
teatro da favela da Maré. Clique na imagem para ler o jornal.


 

 

Vozes das Comunidades



O jornal Vozes das Comunidades é fruto dos Cursos de Comunicação Comunitária ministrados pelo NPC desde 2003. As publicações foram produzidas pelos próprios alunos, desde a elaboração da pauta passando pela apuração e produção de textos. Os alunos são normalmente lideranças de comunidades e movimentos populares; estudantes de comunicação moradores de favelas; e estudantes e jornalistas ligados aos movimentos sociais. Clique nas imagens para baixar.

 




 

 

O Cabistão – jornal dos alunos do curso de Arraial do Cabo




O Cabistão é um jornal que surgiu durante as aulas de comunicação comunitária promovidos pelo NPC em
Arraial do Cabo, por meio do Projeto Ressurgência. Os assuntos, os textos e as fotos são produções dos próprios alunos.
Inclusive o nome, O Cabistão, foi aprovado por eles em uma votação, na
qual outros cinco nomes concorreram. O curso de Comunicação Comunitária nasceu para
gerar mobilização, debate, e, sobretudo, divulgação do pensamento e da
realidade da cidade de Arraial. Nasceu também para ser um espaço de
troca de idéias sobre o meio-ambiente da cidade, e sobre como gerenciar com
qualidade nossa Reserva Extrativista Marinha. Hoje, já são 6 números lançados.

 

 

Reporter da Terra 3

Número 3, de setembro de 2005

 

 

 

 

Repórter da Terra de set/2005, [tamanho do arquivo: 1.28MB]

 

 

Jornal REPÓRTER DA TERRA

Números 1 e 2, de janeiro e março de 2005

..Primeira edição

O Núcleo Piratininga de Comunicação lançou em janeiro de 2005 o jornal REPÓRTER DA TERRA, que ocupará o espaço vazio da falta de informações sobre o resultados concretos das transformações sociais no Brasil. Seus primeiros números serão dedicados à Reforma Agrária. Em parceria com o CERIS, MST e INCRA, o NPC estabeleceu uma rede de 40 repórteres em 23 estados brasileiros. Esses repórteres estão visitando acampamentos e assentamentos, registrando os fatos marcantes da vida dos trabalhadores rurais que estão participando de cursos, seminários e das mais diversas atividades de formação. Organizados, lutam por dignidade, assistência técnica e por um pedaço de terra para nela viver e produzir.

As reportagens vão revelando o lado humano e belo da vida desses trabalhadores rurais. São Marias, Josés, Severinas, Chicos, Anas, Kellis, Mários e tantos outros que saem da invisibilidade e nos mostram como é viver nos assentamentos de Reforma Agrária. O estilo do Jornal põe os fatos e a vida em primeiro plano e inaugura uma nova linha editorial para os jornais de esquerda no Brasil. Para o REPÓRTER DA TERRA as transformações sociais já estão acontecendo. É uma revolução silenciosa e definitiva. O desafio é apresentar à sociedade os seus resultados e sua concretude e, ainda, mostrar a importância de cuidar desses filhos e filhas que são ameaçados pelos atuais faraós e herodes.

Edição No dois

Não se trata de fugir nem tão pouco se esconder. Para o REPÓRTER DA TERRA é hora de visibilizar a vida, alimentar a esperança, indicar caminhos e fazer reverter projetos jornalísticos que desvirtuam a notícia, como se o povo só gostasse de ver sangue, miséria e corrupção. A estética, o bom gosto e a alegria de viver do povo brasileiro são presenteados com um Jornal à sua imagem e semelhança. A edição do REPÓRTER DA TERRA será mensal com uma tiragem de 10.000 exemplares. Conheça-o e forme sua própria opinião. Ele está disponível em formato PDF. (Texto de Isaias Bezerra de Araújo, Coord. Técnico do CERIS e Co-editor do REPÓRTER DA TERRA). Para visualizar o Jornal REPÓRTER DA TERRA, clique aqui abaixo:

.